O Motor Anúncios de Época 1981 1980 1979 1978 1977 1976 1975 1974 1973 1972 1971 1970 O início Voltar

O Primeiro Chrysler autêntico. (1969/1970 - Dart)

O primeiro produto fabricado pela Chrysler no Brasil foi o Caminhão D-400, lançado no início de 1969, mas no mês de outubro era lançado o primeiro automóvel puro sangue da Chrysler, o Dodge Dart. Inicialmente o Dart era fabricado na versão 4 portas, em um único nível de acabamento e já como linha 1970. Moderno e atual para a época, era basicamente o modelo americano fabricado no mesmo ano.

Os principais atrativos do Dodge Dart eram suas linhas retas e harmoniosas, demonstrando se um carro robusto e forte. Sua principal virtude era seu motor V8 (o maior motor produzido no Brasil para veículos de passeio). Este motor possuía 5.212 centímetros cúbicos (cm3) ou 318 polegadas cúbicas (pol3), gerando 198 HP (potência declarada pela Chrysler para não aumentar a taxa de licenciamento que era maior para carros com potência superior a 200 HP) e um torque de 41,5 kgm (Kilogramaforça x metro) a 2.400 rpm (Rotações por Minuto), o que lhe dava um funcionamento macio e silencioso, mas quando solicitado demonstrava o por quê da fama dos motores 8 cilindros. Outro destaque do motor era a sua impressionante durabilidade e a grande possibilidade de venenos.

O Dodge Dart era um carro gosto de se guiar sendo dócil e ágil, transmitindo segurança graças à firmeza das suspensões (um pouco duras, mas não a ponto de prejudicar o conforto) que o mantinha estável até nas curvas mais fechadas.

Uns dos problemas mais citados no lançamento do Dart era seu acabamento pobre, motivado pela política da Chrysler de oferecer um carro com preço mais baixo possível (NCr$ 23.950), abrindo-se a um mercado situado entre as versões mais caras do Opala, Willys Itamaraty e FNM 2150; e abaixo do Ford Galaxie/LTD. Outros inconvenientes eram a baixa autonomia oferecida pelo tanque de apenas 62 litros, o consumo de combustível, caixa de direção muito desmultiplicada necessitando de muitas voltas para esterçar as rodas, as calotas eram de difícil remoção, cinzeiros pequenos e rasos, bancos dianteiros mal posicionados e os freios, não que estes fossem ruins, mas seria aconselhável discos na dianteira para melhorar a frenagem. Mas o que realmente atrapalhava era eixo traseiro rígido, que não permitia boa aderência em pisos irregulares.

Em testes o Dart cravou quase 180 km, acelerou de 0 a 100 Km/h em 12 segundos e consumiu 5,5 Km/Litro na cidade e 7 Km/Litro na estrada.

A Chrysler oferecia diversos opcionais: Frisos nas laterais e no contorno dos pára-lamas em alumínio, garras de pára-choque, teto de vinil e pneus faixa branca. O Dart era disponível nas cores Amarelo Carajá, Azul Profundo, Azul Abaeté, Verde Imperial, Branco Polar, Vermelho Chavante e Preto Formal. Os bancos podiam ser da cor verde, azul ou preto, dependendo da cor da carroceria.

No final de 1969 a Chrysler já tinha fabricado 3.366 unidades de seu carro. Já em 1970, o Dodge Dart foi eleito o carro do ano pela revista Auto Esporte. No mesmo ano se tornou o líder de vendas no mercado de carros de luxo, tendo 41,4% do mercado. A Chrysler queria mais, melhorou a linha de produção, chegando a 60 carros/dia. Também para melhorar a imagem do Dart, este começou a ter como opcional freio a discos dianteiros com auxiliar a vácuo (servo-freio). Ocorreram acertos no acabamento e suspensão, além de melhoramentos no trambulador do câmbio.

Em Outubro de 1970 a Chrysler apresentou a nova linha 1971 lançando o Dart Coupê, com duas portas sem coluna central (visto que na época o mercado preferia carros duas portas). Oferecido nas versões, Básica e Luxo, qual disponibilizava como itens de série: Rádio, limpador de pára-brisa de duas velocidades, luzes de ré, acendedor de cigarros e refletores laterais; como opcionais existiam: Direção hidráulica, garras nos pára-choques, friso central no porta-malas acompanhando o centro das lanternas, frisos laterais e super calotas (a versão básica vinha com calotas pequenas com a estrela de três pontas da Chrysler). A calota pequena era estampada em aço e depois cromada; e fixada na roda por "ranhuras" existentes na mesma, sendo exclusividade da versão Coupê (o sedã continuava a vir com as super calotas). Uma simplificação no Dart foi a troca dos frisos de alumínio (opcionais) que marcavam a linha de cintura, por uma faixa plotada em preto ou branco, que seguia a linha superior da lateral.

Em 20 de Novembro de 1970 iniciava-se o 7º Salão do Automóvel, inaugurando o Parque Anhembi, onde a grande sensação era um novo esportivo nacional e um dos únicos “Muscle Car” nacionais.

Curiosidades: Um fato interessante é que a fábrica numerou o chassi do primeiro dodge a partir de 500 para passar ao consumidor a impressão de que a fábrica já tinha vendido pelo menos 500 Dodges!!!! Outro motivo para isto, é que o consumidor poderia ter receio de comprar um dos primeiros Dodges, com medo que estes viessem com defeitos de fabricação.

Os Dodge Dart de 1969 modelo 1970 realmente tinham o acabamento bem abaixo dos modelos fabricados após 1970, tanto que não possuíam comando interno para abertura do capô, este comando era uma trava após a grade do motor. Outro indício de economia era a tampa do bocal de combustível que não possuía chave. Mas esta foi uma estratégia da Chrysler para reduzir o preço final do Dart e conseguir estabilizar o modelo no mercado, mas na metade de 1970, a Chrysler mudou sua política sobre os opcionais dos seus carros, sendo possível, então, a instalação de alguns opcionais pelas concessionárias. Isto favorecia o consumidor que podia comprar um carro mais barato e sem luxo ou adquirir um carro mais completo. Estas mudanças se refletem hoje na dificuldade de saber a originalidade de alguns itens e identificar corretamente um carro, pois a plaqueta de identificação dos Dodges, onde constam os opcionais, modelo, etc. não era atualizada pelas concessionárias.

O Dodge Dart foi o primeiro automóvel nacional a possuir frente deformável, que tem como objetivo absorver parte dos impactos frontais, diminuindo os riscos de ferimentos nos passageiros. Mas o curioso é que este item foi testado no lançamento do carro em São Paulo, quando um jornalista acabou acertando uma árvore. Neste teste (ou susto) o jornalista saiu ileso, provando a segurança do Dodge Dart.

Antes do lançamento do Dart Coupê, era cogitado que este recebe-se um veneno leve que aumentaria sua potência para 230 HP e que seria lançado o Dart GT, com motor de 383 polegada cúbicas (6.279 cm3) e potência de 290 HP (pena que estes boatos não se tornaram fatos).

Uma mudança quase imperceptível: as letras DODGE na tampa traseira que eram centralizadas e bem divididas, após 1970 ficaram posicionadas a direita do porta-malas e mais próximas umas das outras.

Voltar

Destaques

Mopar - Chrysler Group LLC
Chrysler Group LLC
Dodge Vehicles International Site
Mopar - from Wikipedia
Mopar Muscle Magazine

 

hidea.com

Seja um sócio - filie-se ao DCC

Clique aqui, torne-se um sócio do Dodge Clube de Curitiba e desfrute de todos os beneficios de um sócio DCC!

DCC nas redes sociais

DCC no Facebook

DCC Store

O DCC é membro da FBVA

FBVA

Copyright © 2012 - Dodge Clube de Curitiba